Farmácia de Família

Parasitas

Piolhos! Esta constrangedora e irritante invasão de privacidade


A infestação de seres humanos por
piolhos da cabeça (pediculus humanus capitis) é frequente, e denomina-se de pediculose. Os piolhos são pequenos parasitas, sem asas (não voam), que precisam de um hospedeiro (ser humano) para completar o seu ciclo de vida. Através de uma picada no couro cabeludo, os piolhos alimentam-se e provocam comichão. Multiplicam-se, depositando no cabelo ovos, brilhantes e esbranquiçados chamados lêndeas. Ao final de 7 a 10 dias, nascem novos piolhos, dando início a um novo ciclo reprodutivo após 14 dias. Está-se perante uma infestação pediculose.

A pediculose pode acontecer em “qualquer cabeça”, independente da idade, raça, estrato social e não esta relacionada com questões de falta de higiene de higiene.

 

Cabelo com lêndeas
Cabelo com lêndeas


Contágio 

  • Contato direto – passam facilmente de uma cabeça para outra ;
  • Contato indireto – pentes, chapéus, escovas, almofadas, lençóis, entre outros objetos.

Comichão na cabeça é um dos sintomas
Comichão na cabeça é um dos sintomas


Sintomas 

O aparecimento de piolhos manifesta-se por prurido (comichão) na cabeça, especialmente na nuca e nas orelhas sendo as condições de temperatura e humidade nessas zonas mais favoráveis. 

Os piolhos no couro cabeludo e as lêndeas (ovos) agarradas aos cabelos deverão ser visíveis a olho nu.

Podem ocorrer pequenas pápulas pruriginosas agrupadas principalmente na nuca. Pode desencadear-se uma infeção bacteriana secundária (impetigo) formando-se crostas. 

Pode haver linfadenopatia, distúrbios do sono e eczemas.

Uso de pentes metálicos para piolhos
Uso de pentes metálicos para piolhos


Tratamento 

Perante a suspeita de piolhos, mesmo não havendo comichão, é importante observar se há piolhos vivos e lêndeas, para confirmar a infestação.  

Algumas regras a ter no tratamento são: 

  • Pentear com um pente para piolhos com o cabelo húmido sobre uma toalha branca. Repetir diariamente, durante 15 dias, nos períodos de infestação;
  • Lavar roupas pessoais e da cama a temperatura >60º;
  • Aspirar o chão ou mobília;
  • Cortar o cabelo - o cabelo curto (<8mm) previne infestação;
  • Mergulhar pentes e escovas em água quente (>60ºC) durante 5 a 10 minutos, mesmo que não tenham parasitas visíveis;
  • Guardar o que não pode ser lavado em sacos fechados durante 2 semanas.

Os tratamentos mais eficazes consistem na aplicação de antiparasitários, sob a forma de champô, creme, spray, espuma ou loção, ou o uso de produtos que facilitam a remoção mecânica, os pentes metálicos e os pentes eletrónicos

Estes produtos devem ser aplicados no cabelo e couro cabeludo, não esquecendo a zona atrás das orelhas e nuca. Em seguida, passa-se o cabelo com um pente fino para remover os piolhos e lêndeas. Quando indicada uma segunda aplicação deve-se aguardar 7 a 10 dias.  

O uso de antiparasitários deve ser sempre aconselhado pelo seu farmacêutico e é importante que o doente e/ou tratador sigam corretamente as instruções de utilização de cada produto.

Processo de tratamento da pediculose
Processo de tratamento da pediculose


Prevenção/cuidados a ter 

A pediculose pode ser prevenida: 

  • Evitando o contacto direto com cabelo de pessoas infestadas e com objetos ou materiais possivelmente infestados; 
  • Proceder às medidas gerais em relação aos objetos ou materiais possivelmente infestados (acima descritas);
  • Em crianças que aparecem frequentemente com piolhos, pode ser útil manter os cabelos curtos e verificar o cabelo, assim como o dos restantes membros da família, com frequência. Pode usar-se também sprays repelentes para piolhos diretamente no cabelo e nos chapéus;
  • Os pais devem avisar a escola e os familiares que a criança tem piolhos, para que os outros progenitores estejam atentos e possam fazer o tratamento nos seus filhos atempadamente e em simultâneo - o que também vai impedir que ocorra uma nova contaminação.


Fontes
iSaúde
Revista Farmácia Distribuição

 

 

Também lhe poderá interessar

Farmácia de Família

Sinais e sintomas

A criança tem febre, não desespere, mas fique vigilante

A febre é um sinal de alerta muito frequente nas crianças. Por isso, importa os pais saberem lidar de forma adequada com este sinal tão comum. Um sinal, não uma doença! A febre, por si, não é uma doença, é um sinal, ou seja, uma resposta do nosso o...
Farmácia de Família

Prevenção

A vacinação é um verdadeiro sinal de amor próprio e amor ao próximo

Vacinar é um ato de proteção essencial à saúde de todos. Cada indivíduo não vacinado corre o risco de adoecer e aumenta o risco de transmissão da doença. As vacinas têm uma função de prevenção, não causando a doença, mas também não a curando. O que f...