Doenças Crónicas

Sistema cardiovascular

Como combater aquela sensação de pernas pesadas e cansadas

Doenças Crónicas


A doença venosa crónica (DVC), ou insuficiência venosa crónica, designa-se por uma anomalia no funcionamento do sistema venoso causada pelo mau funcionamento das válvulas que existem nas veias, podendo estar associada ou não à obstrução do fluxo venoso.

A DVC é considerada uma doença crónica e evolutiva que tende a piorar com o tempo, constituindo um fator de incapacidade e de perda de qualidade de vida para as pessoas afetadas.


Excesso de peso pode ser uma causa
Excesso de peso pode ser uma causa


Fatores de risco:

A DVC pode ter diversas causas associadas:

  • Género – afeta mais as mulheres que os homens;
  • Hereditariedade – predisposição familiar, ou seja, fatores genéticos;
  • Hormonas – alterações hormonais, como a menopausa, gravidez e contraceção oral, aumentam o risco;
  • Idade – prevalência aumenta com a idade;
  • Antecedentes pessoais – existência de DVC prévia pode originar novos episódios;
  • Imobilização prolongada – estar muito tempo parado, de pé ou sentado (por exemplo no trabalho ou em viagens) leva a dificuldades no retorno venoso;
  • Ambientes quentes – as temperaturas muito quentes, como exposição solar, depilação com cera quente, saunas e hidromassagens, agravam os sintomas;
  • Tabagismo - o tabaco prejudica a fluidez do sangue;
  • Sedentarismo – falta de exercício físico;
  • Alimentação desequilibrada – excesso de peso (obesidade) e prisão de ventre, são dois dos fatores responsáveis pelo aumento da pressão sanguínea nas veias.

Pernas doridas e inchadas
Pernas doridas e inchadas


Sinais e sintomas

A DVC, ou seja, a sensação de pernas pesadas pode agravar-se ao longo do tempo, surgindo complicações como: dor, inchaço permanente, comichão, alterações na pele das pernas e cãibras.

Estado avançado de insuficiência venosa crónica
Estado avançado de insuficiência venosa crónica


Consequências

O não tratamento e a desvalorização dos sinais e sintomas pode ter consequências como:

  • Edema - inchaço;
  • Derrames – pequenos vasos sanguíneos que se tornam visíveis na perna, coxa ou tornozelo;
  • Varizes – dilatação das veias, que podem levar a úlceras varicosas difíceis de cicatrizar e dermatites, lesões avermelhadas que provocam comichão;
  • Flebites - estádios mais avançados da doença, que levam ao entupimento das veias, podendo dar origem a Trombose Venosa Profunda e a Tromboembolismo Pulmonar.

Evite uma alimentação desequilibrada
Evite uma alimentação desequilibrada


Prevenção/cuidados a ter

As medidas preventivas incluem:

  • Hidratação - beber muita água (> ou =1.5L);
  • Alimentação equilibrada: rica em fibras (por exemplo vegetais) e pobre em gorduras (por exemplo manteiga e carne de porco);
  • Praticar exercício físico – caminhar, nadar, andar de bicicleta, entre outros;
  • Evitar cruzar as pernas quando está sentado;
  • Diminuir o excesso de peso, se for o caso;
  • Evitar banhos quentes – um duche de água fria nas pernas, ativa a funcionalidade das veias e alivia a sensação de dor e peso nas pernas;
  • Reduzir a exposição solar – por exemplo caminhar à beira-mar;
  • Evitar vestuário apertado – escolher roupa confortável e larga, evitando calças muito estreitas, meias com elásticos ou cintos apertados;
  • Usar calçado confortável – nem saltos altos, pois reduzem a superfície de apoio do pé, nem sapatos planos sem saltos que aumentam demais essa superfície; sapatos devem ter idealmente 3 a 4 cm de altura;
  • Descansar com as pernas ligeiramente elevadas – por exemplo, durante o sono elevar os pés 10 a 15 cm da cama.


Tratamento

A sensação de cansaço e peso nas pernas afeta muito a qualidade de vida, de modo a controlar os fatores de risco e a prevenir a DVC pode recorrer-se:

  • Medicamentos venotrópicos, que aumentam a tonicidade das veias, evitam o inchaço e melhoram a circulação (caso dos bioflavonoides);
  • Produtos tópicos (creme/géis ou loções) que ao massajar as pernas, de baixo para cima, melhora a circulação do sangue para o coração (por exemplo polisulfato sódico de pentosano, arnica, centelha asiática, entre outros);
  • Suplementos alimentares - em associação ou isolados que podem contribuir para a saúde do sistema venoso, destacando-se arnica, castanheira da índia, centelha asiática, entre outros;
  • Meias de descanso – através da compressão previnem os problemas venosos;
  • Escleroterapia - técnica usada para a secagem de pequenas varizes, através da injeção de um agente químico dentro da veia (feita pelo médico);
  • Tratamento cirúrgico das varizes - na intervenção médica, existem diversas técnicas que devem ser adaptadas a cada tipo de doente.


Fontes
www.flabien.pt

 

 

Também lhe poderá interessar

Doenças Crónicas

Sistema digestivo

Primeiro, manter o intestino mais saudável e logo minorar os sintomas

Atualmente ouve-se falar muito da síndrome do intestino irritável que, como o nome indica, é uma doença resultante da inflamação do intestino, que surge habitualmente em pessoas que são mais suscetíveis a determinados alimentos ou substâncias que são...
Doenças Crónicas

Sistema cardiovascular

Anti-coagulantes, que cuidados?

Os anticoagulantes orais (ACO) são medicamentos que fazem com que o sangue se torne mais fino, prevenindo a formação de trombos. Os ACO são utilizados para tratar e prevenir as doenças tromboembólicas e doenças cardíacas, como por exemplo o enfarte ...